Agrupamento 350

No dia 3 de agosto, às 6:30h, os escuteiros do Agrupamento 350-Santana partiram, rumo a Idanha-a-Nova, para o maior Acampamento Nacional (ACANAC) de Portugal.  Nesta que foi a vigésima segunda edição deste evento, que contou também com a participação do Agrupamento de Sesimbra, ocorreu o maior abraço do mundo.

Foi uma viagem longa e cansativa, mas valeu a pena. Chegámos por volta das 12:40h ao Campo Nacional de Atividades Escutistas de Idanha-a-Nova. Aí montámos as tendas e começámos logo a fazer as nossas construções. Entre mesas, cozinhas e dormitórios, as secções II e III construíram enormes palácios. As maiores construções foram as do Agrupamento 350-Santana, tendo a maior de todas alcançado os 7 metros.

À chegada, após o check-in, fizémos uma mostra de objetos que nos foram propostos, dos quais faziam parte cartazes, livro da aliança, castiçais, coisas para vender, entre outros. Depois, foi a vez de um “lava pés” que usámos para lavar as mãos, pois estava muito pó e, assim, foi menos complicado. No final, foi servido um chá, como sinal de agradecimento pela vinda.

Os scouts entrevistados contaram-nos que gostaram imenso da chegada, da abertura (“Que foi somente espetacular!”), das atividades e do encerramento.

Na abertura, houve oportunidade de ver atuar trapezistas e foi explicado o que iria acontecer nos dias seguintes. Também ficámos a saber o lema do acampamento   “Escuteirar – educar para a vida” e aprendemos a música do ACANAC. Cada secção tinha um sub-tema: na I era Conhecer +; na II era Descobrir +; na III era Construir +; e na IV era Viver +.

Muitas das atividades dos Exploradores (II secção) foram espetaculares. Houve jogos de água na barragem e um jogo de cidade em Castelo Branco, que foi também considerado “muito giro”.

No encerramento, quando apareceu o conhecido humorista, Manzarra, foi dado o maior abraço do mundo, com mais de 17 mil participantes, tendo este momento ficado registado, para ser certificado pela organização do Guiness World Records (ainda por atualizar).

Os escuteiros sentiram bastante calor, fome e sede, mas valeu a pena o esforço e a dedicação investidos pelos jovens dos seis anos em diante.

Maria Almeida, 8º G

vídeo adaptado de http://www.facebook.com/#!/acanac2012