A Campanha Pirilampo Mágico decorreu no mês de maio, à semelhança do que acontece todos os anos. O nosso Agrupamento não ficou indiferente, tendo dado o seu contributo no Continente da Venda Nova, com a participação entusiástica e incansável de Beatriz Sebadelhe, Luana Ribeiro, Margarida Barreiros, Carolina Gomes, Mariana Freire, João Busca e Catarina Torres. Estes jovens da Escola Básica do Castelo responderam ao apelo do CAI – Centro de Animação para a Infância - e, juntos, distribuíram sorrisos e alegria por quem ajudou a iluminar o mundo das pessoas portadoras de deficiência

Uma vez mais, esta campanha mobilizou milhares de pessoas, desde familiares das pessoas com deficiência a técnicos e até cidadãos anónimos. E assim  ficou provado que todos juntos conquistamos sorrisos e espalhamos a magia!

O principal objetivo desta iniciativa, uma das mais participadas do nosso país, é a angariação de fundos para distribuir pelas CERCIs e outras organizações idênticas, sem fins lucrativos.

 

Assim nasce um pirilampo…

Foi na noite de 2 de setembro de 1986 que surgiu a campanha Pirilampo Mágico, durante uma entrevista para o programa “Arte de Bem Madrugar”, na RDP-Antena1, no qual se abordaram alguns dos problemas financeiros com que a CERCILISBOA se defrontava na altura, assim como os projetos em que estavam envolvidos. Os elementos da Antena1, sensibilizados pelo testemunho, encetaram contactos entre a FENACERCI e o diretor de programas da RDP-Antena1, dando assim início à parceria que desencadeou aquela que é considerada, atualmente, a maior campanha de solidariedade de Portugal.

E eis que, a 10 de maio de 1987, é lançada oficialmente a campanha Pirilampo Mágico, com a criação da mascote para sempre adotada, que se caracteriza por ter uma cor diferente todos os anos.

Muito embora, com o passar dos anos, se comercializem outros produtos para ajudar na angariação de fundos (tais como CDs, pins, canecas), é a venda dos pirilampos que angaria a maior verba para ajudar a população com deficiência intelectual e/ou multideficiência.

A primeira campanha, em 1987, teve como tema, o poema musicado de Maria Alberta Menéres transcrito em seguida:

Eu conheço um pirilampopirilampos
que vive muito lampeiro
dentro dos olhos da gente.
E na cidade ou no campo
é sempre, sempre o primeiro
a acordar muito contente.
 
Sorri ao sol
a nascer,
às ervinhas
a crescer,
ao orvalho
da manhã.
Sorri ao calor
do dia,
à chuva
e à ventania.
ao gafanhoto
e à rã.
Eu conheço um pirilampo
que vive muito lampeiro
dentro dos olhos da gente.
E na cidade ou no campo
é sempre, sempre o primeiro
a trabalhar bem contente.
 
Gosta do caderno
aberto
das contas de errado
e certo,
de sonhos
de caravelas.
Nas letras
do alfabeto
investiga o rumo
certo
de foguetões
e de estrelas.
 
Eu conheço um pirilampo
que vive muito lampeiro
dentro dos olhos da gente.
E na cidade ou no campo
é sempre, sempre o primeiro
a dormir muito contente.
 
Brilha na noite
mais escura,
na lanterna
da ternura
pendurada
ao coração.
Sabe distinguir
no ar
o dormir
e o sonhar,
fases da nossa
invenção.